Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 16 de outubro de 2012

PRECISA-SE DE PACIFICADORES


TEXTO: Mateus 5.9
INTRODUÇÃO:
1. Existem 400 referências à paz na Bíblia. As Escrituras começam com paz no Jardim do Éden e termina com paz na eternidade. O pecado do homem interrompeu a paz no Jardim. Na cruz, Cristo se tornou a nossa paz e um dia, ele virá para estabelecer o seu Reino de paz.
2. Deus se autodenomina o “Deus da paz”, mas não há paz no mundo. Isso por causa da oposição de Satanás e desobediência do homem.

I.    A NECESSIDADE DA PAZ.

1. O homem é um ser em conflito. O homem está em guerra com Deus, consigo, com o próximo e com a natureza. A paz que saudamos hoje começa a desmoronar amanhã. Não temos paz política, econômica, social ou familiar. Não temos paz em lugar nenhum porque não temos paz no nosso coração. As pessoas sofrem de doenças mentais e emocionais como nunca. Depois da segunda guerra mundial, o mundo ficou preocupado em desenvolver um agência para a paz mundial, por isso, em 1945, surgiram as Nações Unidas com o lema: “Libertar as nações vindouras do flagelo da guerra”. Desde então, não tem havido um dia de paz na terra.

2. Os homens estão em conflito uns com os outros. Não temos capacidade de conviver bem uns com os outros. Existem dissoluções de famílias e discórdias nas escolas. O homem não tem paz consigo mesmo, por isso o mundo ao seu redor está mergulhado no caos. O século XX começou com profundo otimismo humanista. Mas veio a primeira guerra mundial e cerca de 30 milhões de pessoas foram mortas. Logo veio a segunda guerra mundial e 60 milhões de pessoas pereceram. O comunismo abocanhou 1/3 dos habitantes do planeta e levou milhões à morte. Hoje vivemos terríveis guerras étnicas, tribais e religiosas. O mundo é um barril de pólvora.

3. Sem paz a sociedade se desintegra. Sem paz você é um ser um conflito, em guerra. Sem paz sua família se arrebenta. Sem paz a igreja perde a comunhão e fica estagnada. Sem paz as denominações se engalfinham em batalhas intérminas. Sem paz a cidade vira uma arena de medo. Sem paz a nação mergulha em densas trevas. Sem paz o mundo vive a síndrome do pânico. O problema que mais nos assusta hoje é a falta de segurança. O nosso semelhante tornou-se nossa maior ameaça. Falta paz na terra.

II.   O QUE É PAZ. 

1. O que não é paz.
a) Não é paz de cemitério – Algumas pessoas definem paz como ausência de conflito. Não existe conflito em um cemitério, mas paz é muito mais do que a ausência de algo.
É a presença da justiça que produz relacionamentos verdadeiros. A paz não é apenas a suspensão da guerra; a paz é a criação da justiça que reúne inimigos em amor.
b) Não é tréguaHá uma grande diferença entre trégua e paz. Uma trégua quer dizer que você apenas que você deixa de atirar por um tempo. A paz vem quando a verdade é conhecida, o problema é resolvido e as partes se abraçam.
c) Não é fuga do confronto – A paz na Bíblia nunca se esquiva dos problemas. Não é paz a qualquer preço. Apaziguamento não é paz. A paz tem um alto preço. Ela custou o sangue de Cristo. A paz constrói uma ponte de reconciliação. Sem confronto teremos apenas um cessar-fogo, uma guerra fria, um tempo para recarregar as armas.
d) Não é sacrifício da justiçaNunca se procura a paz à custa da justiça. Você não conseguirá paz entre duas pessoas a não ser que elas tenham percebido o pecado, a culpa e o erro da amargura e do ódio e tenham resolvido levá-los diante de Deus e corrigi-los.

2. O que é paz. A paz  inclui o bem estar geral do homem. É a libertação do mal e a presença de todas as coisas boas.
A paz é um estado de harmonia com Deus, consigo, com o próximo.

3. Impedimentos à paz.
a) Semear contendas – A Bíblia diz: Lv 19:16 “Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo”. Este é o pecado que mais a alma de Deus aborrece, semear contendas entre os irmãos Pv 6:19. O mexeriqueiro é o correio do diabo por quem ele envia as suas cartas. Ele sopra as brasas da contenda. Se a Bíblia diz que o pacificador é abençoado, bem-aventurado, então, aquele que quebra a paz é maldito. O diabo foi o primeiro a quebrar a paz, separando o homem de Deus.
b) Alimentar a soberba – A pessoa soberba pensa que ela é melhor do que os outros e contende por superioridade. Só uma pessoa que abriu mão da sua vaidade, pode ser um pacificador.

III.  A BÊNÇÃO DE SERMOS PACIFICADORES.

1. Nós fomos chamados à paz e somos portadores da paz. Deus nunca nos chamou para a divisão ou contendas. Ele nos chamou à paz 1 Co 7:15 Temos paz com Deus, temos a paz de Deus e somos portadores da paz. Devemos levar a paz: Quando Tiago e João pediram para Jesus mandar fogo do céu sobre os samaritanos, Jesus lhes repreendeu: Lc 9:55 “Vós não sabeis de que espírito sois. Pois o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las”. Is 58:12 Isaías diz que quando andamos com Deus, nossos filhos tornam-se reparadores de brechas. A Bíblia diz: “Quão formosos são os pés daqueles que anunciam as boas novas da paz”.

2. É honroso ser um pacificador. A Bíblia diz que Pv 20:3 honroso é para o homem o desviar-se de contendas”. Salomoão disse que “como o abrir de uma represa, assim é o começo da contenda; Quando uma represa arrebenta, há uma inundação catastrófica, que traz perigo, prejuízo e morte.

3. O pacificador poupa a si mesmo de tormentos. A Bíblia diz: Pv 11:17 “O homem bondoso faz bem a si mesmo, mas o cruel a si mesmo se fere”. Um gerador de contendas torna o seu próprio carrasco e algoz. Ela flagela a si mesmo. Is 57:20,21 O ímpio é como o mar agitado, que lança de si lodo e lama. Não há paz para o ímpio. A Bíblia diz: Sl 133:1 “Oh quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. É como o óleo e como o orvalho”.

CONCLUSÃO: 
1. Você tem paz? Você vivem em paz com Deus, consigo, com o próximo?
2. Você tem perdoado as pessoas que lhe ofendem? Você prefere sofrer o dano do que entrar numa rixa e numa contenda?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão lidos pelo autor, só serão respondidos os de grande relevancia teológica, desde já agradeço pela visita.