Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 20 de abril de 2017

POSTURAS DE UM MISSIONÁRIO

Mt 10:16
INTRODUÇÃO:

v Mateus desenvolve sua história de Jesus com certo método, que não exclui o dramático. Na história do batismo vemos como Jesus aceita sua tarefa. Na história das tentações Mateus mostra a Jesus decidindo qual será o método que utilizará para cumprir sua tarefa. No Sermão da Montanha ouvimos as sábias palavras de Jesus. Em Mateus 8 somos espectadores dos fatos poderosos de Jesus. Em Mateus 9 vemos como se arma ao seu redor a ameaça de uma crescente oposição. E agora vemos Jesus escolhendo a seus seguidores.
v Deles depende o efeito presente e o êxito futuro da obra que se propôs realizar.

·      Há duas circunstâncias, com relação a estes homens, que nos surpreende:
1)   Eram homens comuns. Não possuíam riquezas, nem formação acadêmica, nem posição social. Escolheu-os dentre o povo comum. Eram homens cujas atividades se desenvolviam no mundo cotidiano, homens sem uma educação especial, homens sem vantagem social alguma. Jesus escolheu a estes homens não a partir do que eram, mas sim pelo que chegariam a ser ao colocar-se debaixo de sua influência e seu poder. Ninguém deve pensar jamais que não tem nada a oferecer a Jesus Cristo.

2)   Constituíam a mais extraordinária mixórdia. Havia, por exemplo, Mateus, o coletor de impostos. Todos veriam em Mateus o traidor, que se tinha vendido aos senhores de sua pátria. E junto com Mateus estava Simão. Em Lucas 6:15 está "Simão, chamado Zelote". Estavam dispostos ao assassinato e a guerra de guerrilhas para liberar Israel do domínio estrangeiro. Eram os patriotas por excelência entre os judeus, os mais radicais de todos os nacionalistas. A realidade terminante é que se Simão o Zelote se encontrasse com Mateus em qualquer outro lugar que não fosse o grupo dos que seguiam a Jesus, provavelmente lhe teria cravado uma adaga. Aqui temos a tremenda verdade de que até homens que se odeiam podem aprender a amar-se, quando ambos amam a Jesus Cristo.

·      Mateus 10:5ª A palavra que o texto original usa para descrever a ação de Jesus ao ordenar a seus apóstolos o que devem fazer é parangélain, vocábulo que em grego possui pelo menos quatro usos diferentes.
1.    É o termo que designa uma ordem militar.
2.    É a palavra que se usa quando se chama a seus amigos para que o ajudem.
3.    É a palavra que se usa quando um mestre dá normas a seus discípulos.
4.    É a palavra empregada normalmente para uma ordem imperial. Jesus age como um rei que envia seus embaixadores ao mundo inteiro, para executar suas ordens e falar em seu nome. Tinham que curar doentes, ressuscitar mortos, purificar leprosos, expulsar demônios.

·      A OBRA DE DEUS NÃO É UMA AVENTURA, É UM CHAMAMENTO PARA VIVER OPOSIÇÕES. A Igreja deve voltar a aprender que não deve convidar os homens a percorrer veredas suaves. O mundo sempre oferece um caminho de rosas, comodidade e seguranças, junto com o cumprimento de todas as ambições mundanas. Jesus oferece dificuldades, e até a morte.

W                 Jesus ofereceu a seus seguidores três classes de provas: VS 17,18,21.
1.    O Estado os perseguiria; seriam levados aos tribunais, ante aos reis e governadores.
2.    A Igreja os perseguiria. Seriam expulsos e perseguidos pelas sinagogas.
3.    A família os perseguiria. As pessoas mais próximas e queridas de seus discípulos os veriam como loucos, e lhes fechariam as portas de seus próprios lares.
è Quando Jesus nos envia para sermos suas testemunhas no mundo, ele não nos envia como fortes e dominantes, mas como fracos e indefesos v.16.
Mt 10:16 Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas. 

TRANSIÇÃO: Há três verdades contidas nesse texto, e que precisamos entender.

1.             O TEXTO MOSTRA UMA METÁFORA: ENVIADOS AOS LOBOS.

1.     A existência de perigo não é uma possibilidade é uma CERTEZA, v.16 Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos.  O alerta não é novo na Palavra. O próprio Senhor Jesus Cristo já havia alertado de forma taxativa, em João 16:33 “Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo”.
2.      O perigo aguarda apenas a ocasião oportuna v.16 nossos adversários são como lobos. Ele se manifesta na igreja, inesperadamente, quando as defesas estão baixas, quando outras coisas chamam a atenção. Se revelam no governo onde são ditadas as regras e leis do país que contrariam os absolutos divinos, se erguem na família o reduto da benção de Deus.
3.      A identificação do agressor. "lobos", A figura do lobo era conhecida como um animal destruidor Gn 49.27 Jacó descrevendo seus filhos "Benjamim é lobo que despedaça; pela manhã devorará a presa, e à tarde repartirá o despojo". Jo 10.11 "Eu sou o Bom Pastor"
è Ambos têm naturezas diferentes, têm interesses diferentes, têm hábitos diferentes.
4.      A origem do perigo.
1.    Externo: Eis que vos envio”. Governo (sistema corrupto do mundo).
2.    Interno: Mas o grande alerta de Jesus, nesta admoestação, é para o perigo interno, que vem de dentro, daqueles que se identificam como igreja do senhor, como povo de Deus v.17 e como Família v.21. A preocupação não é com os lobos que são facilmente identificáveis, mas com aqueles que parecem pacíficos, inofensivos.

2.             ENVIADOS EM MEIO A LOBOS, PORÉM CAUTELOSOS DIANTE DOS DESAFIOS.

·      Jesus preparou os discípulos para que enfrentassem duras experiências, que incluiriam a perseguição.
Primeiro mostrou que não deveriam esperar riquezas ou valores.
Segundo são reputados pelo mundo.
Terceiro, mostrou que alguns rejeitariam sua missão e sua mensagem.
Finalmente, mostrou que a rejeição pode incluir a perseguição e ate mesmo a morte.
v Não está em foco aqui a questão da natureza da serpente, mas o simbolismo que seria facilmente compreendido pelos discípulos.
Pv 14:15 “O simples dá crédito a tudo; mas o prudente atenta para os seus passos.”
Pv 22:3 “O prudente vê o perigo e esconde-se; mas os simples passam adiante e sofrem a pena.”
·      Prudência e simplicidade são conceitos antagônicos. Em ambos os versos, o simples é comparado com o prudente como sendo conceitos opostos.
·      A palavra “prudente” no grego é phrónimos, que também pode ser traduzida por compreensivo, sábio, inteligente, astuto. Esse termo denota uma reflexão inteligente que antecede a uma ação.
Gênesis 3:1 “Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?”.
·      Examinando esse texto com cuidado, perceberemos que a principal característica da serpente foi sua capacidade única de reconhecer o mal, ou aquilo que poderia levar a ele. A serpente foi astuta quanto a identificar o mal.
NA OBRA MISSIONÁRIA OU VOCACIONAL, OS CHAMADOS TEM QUE ADQUIRIR AS CARACTERÍSTICAS DE COBRAS.

1.    Por prudência a serpente vive em alerta discernindo bem o perigo ainda distante e em qualquer circunstância da natureza, pois seus sentidos faz o discernimento e logo ela bate em retirada.
2.    Por prudência a serpente não anda em exibição, mas anda bem escondida essa prudência a faz ter êxito nas investidas tanto no combate quanto na hora de se alimentar. Ela sabe que essa falta de prudência também pode lhe custar à vida. Pois, é um animal muito perseguido por gaviões e outros predadores.
3.    Por prudência a serpente faz a sua morada no fundo das cavernas rochosas. Nas grandes rachaduras das penhas, lugar de difícil acesso e quase impenetrável, ela não é como as minhocas que em qualquer terreno faz sua casinha. Essa prudência, propicia a serpente estabilidade, e uma boa segurança contra os eventuais fenômeno da natureza e ataque de inimigos. Dando-lhe uma reprodução tranquila e constante.
4.    Por prudência a serpente troca-se várias vezes a pele que a cobre. Deixando-lhe mais renovada. Pois, a casca retirada estava desgastada e cheia de parasitas. Com esse feito a serpente adquire habilidade e um bom desempenho na vida. A falta dessa renovação fará que tenha uma vida monótona sem habilidade. Pois, a proliferação de parasitas lhe trará problema de saúde gravíssimo e por fim a morte.

3.             A OBRA É GRANDE MAIS TODO VOCACIONADO É SIMPLES.

A palavra grega para “símplices” é akéraios, cujo sentido aponta para algo sem mistura, puro, incontaminado ( kerannumi – mistura, o a é um elemento de negação, equivale a sem ou nenhuma. A pomba é uma linda figura da simplicidade, paciência, submissão, fidelidade ou obediência.
·      SOMOS COMPARADOS A POMBAS POR 3 CARACTERISTICAS.
1.        O termo simples como pombas denota total dependência do Eterno na obra. v.8, 9,10. (dependência quanto ao poder do alto, e cuidado da terra).
2.        O termo simples como pombas denota capacitação de adaptação. As pombas são simples e não são exigentes, acostumam-se com qualquer ambiente. (Adaptação quanto à capacidade de fazer parte sem se misturar, vivendo onde há urubus ela continua pomba). Adaptar não quer dizer misturar, mais deixar uma marca onde vivo (Ser sal e luz).
3.        O termo simples como pombas indica valorização quanto a simplicidade do evangelho da graça de Deus. A igreja não precisa inventar moda! Precisamos é voltar ao evangelho puro e simples.  Simplicidade no dicionário significa ausência de complicação

v Simplicidade não é defeito, pelo contrário; simplicidade é uma poderosa virtude com inúmeros benefícios; eis alguns:
Simplicidade otimiza;  É extrair o melhor rendimento possível.
Simplicidade retira o peso de nossas costas; Simplicidade nos protege da ansiedade;
Simplicidade deixa nossa visão mais clara.

Contatos para agenda:
Pr. Nilton Jorge

Tel: Vivo (22) 998746712 whatzapp / Tim (22) 981358547
Email. niltondalani@gmail.com
https://www.facebook.com/Pr.NiltonJorge

Um comentário:

  1. Gloria a DEUS por este mana e pela vida de seus anjos;que continuam descendo a escada de jaco e trazendo bencaos

    ResponderExcluir

Os comentários serão lidos pelo autor, só serão respondidos os de grande relevancia teológica, desde já agradeço pela visita.