Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 13 de julho de 2011

PÉRGAMO – UMA IGREJA EM GUERRA.

TEXTO: Ap 2:12-17
INTRODUÇÃO
• O perigo que estava assaltando a igreja de Pérgamo era a linha divisória entre verdade e heresia.
• Se Satanás não consegue nos tirar do caminho, ele colocará tropeços à nossa frente. Se ele não consegue nos tirar a fé, tentará fazer acréscimos à nossa doutrina, inserindo seu veneno de forma sutil. Se você resolve não abandonar a igreja, ele tentará armar seus laços lá dentro mesmo. Se ele não nos vence pelo mundanismo, tentará nos conduzir a um tipo de religiosidade vazia, infrutífera e inútil. Mesmo não negando o nome de Jesus, ainda corremos o risco de sermos apenas cristãos nominais.
• “A palavra “pérgamo” significa casado”. "Pérgamo" estava ligado à "purgos" - purgos, que no grego, que significa "castelo", "torre", "fortificada", "altura ou elevação", "uma estrutura fortificada numa altura considerável; local apropriado para se repelir um ataque hostil ou permitir a um guarda ver em todas direções"
• A igreja de Pérgamo é um quadro da maioria das igrejas de 313 a 606 A.D. Em 312 A.D. o imperador romano Constantino legalizou a fé cristã e a adotou como religião oficial.
• A doutrina de Balaão foi tornada obrigatória: o "batismo" infantil tornou-se a porta de entrada para o novo sistema político-religioso e a fé pessoal perdeu sua importância; sacerdotes pagãos foram "convertidos" e se tornaram "cristãos" bem como seus templos; o imperador doou um bom número de edifícios imponentes, chamados "basílicas", para serem convertidos em templos "cristãos", contribuindo generosamente para a sua decoração; ele deu ao "clero" roupagens especiais, semelhantes àquelas usadas pelos sacerdotes dos templos pagãos; os bispos logo foram providos de tronos, foram vestidos com paramentos magníficos e jóias, tendo diante deles altares caríssimos de mármore decorados com ouro e pedras preciosas. Uma liturgia padronizada de grande pompa foi introduzida, e a livre pregação e ensino da Bíblia foram grandemente restringidos, dando maior ênfase à filosofia pagã grega; ídolos e festas pagãs foram "cristianizadas" com os nomes de "santos", etc.
• Ai Jesus resolveu bradar:

1. CRISTO FAZ UM DIAGNÓSTICO DA IGREJA E REVELA OS SEUS SINTOMAS.

1. Cristo vê uma igreja instalada no meio do acampamento de Satanás – v. 13
• Pérgamo, uma cidade com um passado glorioso. Historicamente era a mais importante cidade da Ásia. Segundo Plínio “era a mais famosa cidade da Ásia”.
 Começou a destacar-se depois da morte de Alexandre, o grande em 333 a.C. Foi capital da Ásia quase 400 anos. Foi capital do reino Selêucida até 133 a.C.
Ítalo III, rei selêucida, o último de Pérgamo, passou o reino a Roma em seu testamento e Pérgamo tornou-se a capital da província romana da Ásia.
• Pérgamo, um importante centro cultural. Como centro cultural sobrepujava Éfeso e Esmirna. Era famosa por sua biblioteca que continha 200.000 pergaminhos. Era a segunda maior biblioteca do mundo, só superada pela de Alexandria.
• Pergaminho deriva-se de Pérgamo. O papiro do Egito era o material usado para escrever. Pérgamo inventaram o pergaminho, de couro alisado, que veio superar o papiro. Pérgamo gloriava-se de seus conhecimentos e cultura.
• Pérgamo, um destacado centro do paganismo religioso
1. Em Pérgamo ficava um grande panteão. Havia altares para vários deuses em Pérgamo. No topo da Acrópole, ficava o famoso templo dedicado a Zeus, uma das sete maravilhas do mundo antigo. Todo o dia se levantava a fumaça dos sacrifícios prestados a Zeus.
2. Em Pérgamo havia o culto a Esculápio. Esculápio era o “deus salvador”, o deus serpente das curas. Ali estava a sede de uma famosa escola de medicina. Para ali peregrinavam e convergiam pessoas doentes do mundo inteiro em busca de saúde.
3. Em Pérgamo estava o centro asiático do culto ao Imperador. No ano 29 a.C. foi construído em Pérgamo o primeiro templo a um imperador vivo, o imperador Augusto. O anticristo era mais evidente em Pérgamo do que o próprio Cristo.
4. Em Pérgamo estava o trono de Satanás. O trono de Satanás é marcado pela pressão e pela sedução. Onde Satanás reina predomina a cegueira espiritual floresce o misticismo, propaga-se o paganismo, a mentira religiosa bem como a perseguição e a sedução ao povo de Deus.
 Cristo não apenas conhece as obras da igreja e suas tribulações. Mas também conhece a tentação que assedia a igreja, conhece o ambiente que ela vive. Cristo sabe que a igreja está rodeada por uma sociedade não-cristã, com valores mundanos, com heresias nos bombardeando a todo instante.

2. Cristo vê uma igreja capaz de enfrentar até a morte por causa do nome de Jesus – v. 13
• A igreja suportou provas extremas. Antipas, pastor de Pérgamo, segundo Tertuliano, foi colocado dentro de um boi de bronze e este foi levado ao fogo até ficar vermelho, morrendo o servo de Deus sufocado e queimado. Ele resistiu à apostasia até a morte.
3. Cristo vê uma igreja que começa a negociar a verdade – v. 14
• A proposta agora não é substituição, mas mistura. Não é apostasia aberta, mas ecumenismo. Alguns membros da igreja começaram a abrir a guarda e a ceder diante da sedução do engano religioso.
4. Cristo vê uma igreja que começa a ceder às pressões do mundo – v. 14
5. Cristo vê uma igreja que começa a baixar o seu nível moral – v. 15
• Eles ensinavam que a liberdade de Cristo é a liberdade para o pecado. Diziam: Não estamos mais debaixo da tutela da lei. Estamos livres para viver sem freios, sem imposições, sem regras. Esse simulacro da verdade era para transformar a graça em licença para a imoralidade, a liberdade em licenciosidade.
• Os Nicolaítas ensinavam que o crente não precisa ser diferente. O que era odiado em Éfeso era tolerado em Pérgamo.

2. HÁ UMA BATALHA TRAVADA CONSPIRANDO CONTRA A FÉ v. 13

1. Pérgamo, um lugar sombrio. Precisamos apagar da nossa mente a caricatura medieval de Satanás. Despojando-o dos chifres, cascos e do rabo. A Bíblia diz que ele um ser espiritual inteligente, poderoso e inescrupuloso. Jesus o chamou de príncipe deste mundo. Paulo o chamou de príncipe da potestade do ar. Ele tem um trono e um reino e sob seu comando está um exército de espíritos malignos que são identificados nas Escrituras como “os dominadores deste mundo tenebroso” e “forças espirituais do mal nas regiões celestes”.
• Pérgamo era um lugar sombrio. Ela estava mergulhada na confusão mental da heresia. As trevas cobriam Pérgamo  Estamos em guerra.
Outras variações a respeito do que seria este "Trono de Satanás":
a) Poderia ser a colina por detrás da cidade, na qual havia muitos altares a deuses pagãos;
b) Outros acham que é uma referência ao altar dedicado a Zeus, erigido sobre uma base a 240 metros acima do nível da cidade;
c) Poderia ser a adoração a Esculápio, cujo símbolo era a serpente,
d) Ou a própria cidade, em razão do misticismo e demonismo de todos os cultos pagãos.
• COMO ESTA IGREJA VENCEU ESTE TRONO DE SATANÁS.
1) Crendo na palavra de Deus. (v.12)
2) Conservando o Nome do Senhor (v.13)
3) Não negando a fé (v.13).
4) Crendo na Ação do Espírito Santo (v.17)
5) Esperando pela providencia de Deus (v.17).

CONCLUSÃO: JESUS CRISTO DIAGNOSTICA A IGREJA E PREMIA OS VENCEDORES – V. 17. Temos aqui uma dupla promessa:

1. Os vencedores comerão do maná escondido – v. 17
1. No deserto Deus mandou o maná. (É Deus quem manda o verdadeiro Maná). Jo 6.48-51,57e58 "Eu sou o pão da vida. Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. Este é o pão que desce do céu, para que todo o que dele comer não pereça. Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne". Assim como o Pai, que vive, me enviou, e igualmente eu vivo pelo Pai, também quem de mim se alimenta por mim viverá. Este é o pão que desceu do céu, em nada semelhante àquele que os vossos pais comeram e, contudo, morreram; quem comer este pão viverá eternamente".
2. Quando cessou o maná, um vaso com maná foi guardado na Arca e depois no templo. (O maná é pra ser guardado).
3. Os rabinos diziam que ao vir o Messias o vaso com maná seria recuperado. (Receber o maná escondido significa desfrutar das bênçãos da era messiânica.)
4. O maná escondido refere-se ao banquete permanente que teremos no céu.

2. Os vencedores receberão uma pedrinha branca v.17.
 Pérgamo ocupava-se da mineração de pedras brancas, comercializando com elas. Uma pedra branca, trazendo um nome escrito nela, tinha vários empregos:
1. Era usada nos tribunais para veredito dos jurados –O cristão é declarado justo, inocente, sem culpa diante do Trono de Deus.
2. Conferia-se esta pedra ao escravo liberto, e que agora se tornava cidadão da província. A pedra era levada para comprovar sua cidadania;
3. Era também conferida aos vencedores nas corridas, ou lutas, como prova da vitória sobre seu adversário;
4. Era conferida ao guerreiro, quando voltava da batalha.
5. Era usada como bilhete de entrada em festivais públicos – A pedrinha branca é símbolo da nossa admissão no céu, na festa das bodas do Cordeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão lidos pelo autor, só serão respondidos os de grande relevancia teológica, desde já agradeço pela visita.