Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

DE BARRO A VASO



TEXTO: Jr. 18:1-10  Is. 64:8
INTRODUÇÃO:
·      Este texto é bastante conhecido dos leitores da palavra de Deus e certamente muito já foi pregado dele.
·      Existem algumas características interessantes, alguns aspectos a serem destacados acerca do barro, e Deus quer nos fazer entender isto a partir do contexto de sua Palavra
·      Os vasos de barro eram usados para tudo na época como utensílios de guardar qualquer coisa, desde um alimento a algo de grande valor (Jeremias 32.14). Seriam como potes ou caixas que usamos tanto hoje para conservar o que queremos.
·      O que determina o valor de um vaso não é o seu acabamento, modelo ou pintura e sim o que contém em seu interior ou a sua utilidade.
·      Porém, em sentido espiritual, o vaso passou a ser o símbolo da pessoa que Deus usa na sua obra.
Em 2 Tm.2.20, Paulo chegou a dizer que numa grande casa há uma grande diversidade de vasos. Vasos de ouro, de prata, de madeira, e também de barro.
Em At.9.15, o próprio Paulo foi chamado por Deus de “vaso escolhido”.
No SL.31.12, o próprio Davi se sentia como um “vaso quebrado”.
Em Pv.25.4, é preciso tirar a escória, para que o vaso se torne útil para o ourives.
Em Is.66.20, o profeta fala de “Vasos puros” na Casa do Senhor.
Em Jr.18.1-6, o povo do Senhor é comparado ao vaso na mão do Oleiro.
Em Rm.9.21, Paulo fala de “vasos de honra” e “vasos de desonra”.
Em Rm.9.22-23, Paulo fala de “vasos da ira” e “Vasos de misericórdia”.

OS HOMENS QUE SE ARREPENDEM PODEM FAZER DEUS ARREPENDER-SE v.10.
Ø  Para Jeová o povo era capaz de arrepender-se e isso deveria reverter o processo da destruição e terminar na restauração v.8.
Ø  Jeová pode plantar ou derrubar, tudo depende de como os homens reagem ao seu trato.
Ø  Deus haveria de reagir favoravelmente para com aqueles que se arrependessem, plantando e edificando v.9.

·      O CONTEÚDO DO VASO QUE DEUS USA
O conteúdo do vaso que Deus usa é muito precioso. Em 2 Co.4.7, está escrito que “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós”. Na antiguidade, os tesouros eram guardados em vasos de barro. Paulo usa este exemplo, para ilustrar as glórias e as riquezas que Deus confiou a nós, que fomos feitos do barro.

NO TEXTO APRENDEMOS ALGUMAS LIÇÕES SOBRE O VASO NAS MÃOS DO OLEIRO:

1. O OLEIRO DÁ FORMA AO VASO – O oleiro apanha o barro informe e amorfo e dá a ele uma forma única e singular. Nós somos como o barro. Se abandonados à nossa própria sorte, somos como barro sem vida e sem forma. Deus é o oleiro que toma esse barro, trabalha nele e o molda segundo o seu querer. Ele é quem nos molda segundo o seu querer e para os propósitos soberanos da sua vontade. O barro não pode rebelar-se contra o oleiro nem fazer sua própria vontade. Cabe-lhe sujeitar-se humildemente ao propósito do oleiro.

2. O OLEIRO DÁ BELEZA AO VASO – O oleiro não apenas dá forma ao vaso, mas também beleza. A peça de barro é modelada, desenhada, pintada, levada ao forno e vitrificada. Deus não apenas nos criou, mas também está nos modelando e nos transformando na imagem de Cristo. Deus está trabalhando em nós e nos refinando até que a beleza de Cristo seja vista em nós. Nós somos o santuário da habitação de Deus. A glória de Deus está neste santuário. As digitais de Deus e a beleza divina estão estampadas neste vaso. A glória do vaso não está em seu material. Ele é de barro, mas o que tem dentro deste vaso é que lhe dá beleza e valor.

3. O OLEIRO DÁ UTILIDADE AO VASO – Normalmente, fazemos distinção entre o que é útil e o que é belo; entre o necessário e o elegante. Um vaso é sempre útil. Ele é moldado para ser usado com um propósito.

4. O OLEIRO FAZ DE NOVO O VASO ESTRAGADO – O oleiro não jogou fora o vaso que se lhe estragou na mão. Ele fez dele outro vaso, um vaso novo conforme sua vontade. Deus amassa e pressiona, estica e comprime o barro. O trabalho do oleiro é reiniciado hábil e pacientemente. Deus não joga fora o vaso que foi danificado. Jr 18.6 “Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel?”. Esse processo não é indolor, mas seu resultado é glorioso. Deus quebra o vaso e faz dele um vaso novo. Deus amolece o barro, amassa-o, molda-o e depois o leva ao fogo. Então, depois desse processo, renasce um vaso belo, útil e precioso, um vaso de honra!

MAIS ANTES DE SERMOS VASOS ÉRAMOS APENAS BARRO.

TRANSIÇÃO: VEJAMOS ALGUNS ASPECTOS DO BARRO ANTES DE SER VASO.

1.             O BARRO NÃO TEM VALOR EM SI SÓ.

Deus é o oleiro e nós somos o barro.
a) Barro não é objeto de desejo nem de disputas;
b) Não há guerras entre nações do mundo por causa do barro;
c) Por causa do ouro, sim, petróleo sim, mas barro não é raridade, é fácil de achar.
d) O pedreiro, padeiro, arquiteto, médico, pizzaiolo, juiz, não pode agregar valor ao barro. Só o oleiro pode agregar valor ao barro
e) Fazendo do barro um vaso, algo de valor;
f) Deus quer agregar valor em você hoje. O valor que você perdeu, o valor que roubaram de você.

2.             O BARRO É ALGO FRÁGIL E PODE SER MOLDADO ENQUANTO ESTÁ MOLE.

Isaías 29:16 Vocês viram as coisas pelo avesso! Como se fosse possível imaginar que o oleiro é igual ao barro! Acaso o objeto formado pode dizer àquele que o formou: “Ele não me fez”? E o vaso poderá dizer do oleiro: “Ele nada sabe”?
a) O barro se espatifa á toa, não é como ferro, metal ou bronze, basta cair da mão do oleiro e pronto.
b) Deus usa de uma metáfora (Jeremias e o vaso de barro). Se não reconhecermos nossa fragilidade e nos quebrarmos na presença do senhor. Deus certamente nos quebrará, nos moerá; Em 2CO 12:5-9, 10 Paulo diz: Não me glorio senão na fraqueza e Deus diz: a minha graça te basta – o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza (fragilidade). Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte.
c) Para que sejamos usados nas mãos de Deus devemos ceder. Deus quer nos moldar para nos usar, e para moldar o vaso só é possível fazer enquanto está mole. Não adianta tentar pegar um vaso seco e tentar mudar a sua forma, vai se quebrar.

3.             O BARRO NÃO TEM VONTADE PRÓPRIA.

Ø    Se o oleiro não moldar, não presta pra nada. Isaías 45.9 “Ai daquele que contende com seu Criador, daquele que não passa de um caco entre os cacos no chão. Acaso o barro pode dizer ao oleiro: ‘O que você está fazendo?’ Será que a obra que você faz pode dizer: ‘Você não tem mãos?’
a)   Se alguém não tira do barranco o barro continuará sendo barro pra sempre;
Barro não faz birra, não esperneia;
b)   Existe barro querendo voltar pro barranco (Egito); Existem pessoas querendo voltar atrás; Mas a ordem de Deus hoje é ‘volte pras mãos do oleiro’;
c)    Diga Deus cumpra em mim o seu querer; Jr. 18:4 (tornou a fazer dele outro vaso)
Ao barro não tem outra opção a não ser render-se a vontade soberana do oleiro;
d)    Muita gente se frustra no reino porque não quer ser barro.
e)    Muita gente se frustra porque quer ser um vaso que Deus não formou Romanos 9:20 Mas quem é você, ó homem, para questionar a Deus? “Acaso aquilo que é formado pode dizer ao que o formou: ‘Por que me fizeste assim?.
Deus sabe o melhor para nós. Deus sabe o melhor para o reino
O melhor lugar para se estar é no centro da vontade de Deus
Fazendo aquilo para o que Deus lhe chamou

Outra coisa é vaso certo no lugar errado, você já imaginou um vaso de óleo no banheiro

CONCLUSÃO:
a) Somente o Oleiro pode agregar valor ao barro;
b) Somente o Oleiro pode agregar consistência ao barro;
c) O oleiro quer que você obedeça ao seu chamado hoje, permita que o Oleiro faça de você um vaso de honra hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão lidos pelo autor, só serão respondidos os de grande relevancia teológica, desde já agradeço pela visita.