Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

O PECADO E AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO

Rm 5:12
INTRODUÇÃO:

W   Três grandiosas doutrinas bíblicas ganham espaço na vida do homem, as quais são: a Doutrina de Deus, a Doutrina do Pecado e a Doutrina da Redenção. Existe uma relação essencial entre essas três doutrinas de tal modo que é impossível tratar do pecado sem tratar da Redenção e, naturalmente, ao tratar sobre Redenção, inevitavelmente a relacionamos com a sua fonte, que é Deus.
W   O termo correlato da palavra Pecado no Novo Testamento é hamartia e sugere a ideia de “errar o alvo” ou “desviar-se do rumo”, como o arqueiro antigo que atira suas flechas e erra o alvo. Os termos sugerem e indicam também alguém que erra o alvo propositadamente, ou seja, que atinge outro alvo intencionalmente. Não se trata de uma ideia passiva de erro, mas implica numa ação propositada. Significa que cada ser humano foi criado com um alvo definido diante de si para alcançá-lo. Denota tanto a disposição de pecar como o ato resultante. Em síntese, o homem não foi criado para o pecado e, se pecou, foi por seu livre-arbítrio, sua livre escolha.
W   Pecado é uma falta de integridade e retidão, uma saída da vereda designada. É uma revolta ou uma recusa de sujeição à autoridade legítima, uma transgressão da lei divina.
W   O pecado é uma fuga ímpia e culposa da lei de Deus; é também culpa, infidelidade, falsidade, engano, dívida, desordem, iniquidade, queda, obstinação, desobediência, falta, derrota, impiedade, erro, morte; pecado, uma ofensa, uma violação da lei divina em pensamento ou em ação.
W   O pecado nos separa de Deus. O pecado nos tira do meio em que devemos viver. O pecado converte luz em trevas, a alegria em tristeza, o céu e no inferno, a vida: em morte. Pecado é violar a lei moral de Deus. O pecado é o maior e o mais terrível inimigo da alma humana. Ele destrói as promessas, mata as esperanças, dá-nos serpentes em vez de peixes, pedra em lugar de pão, tormento em lugar de prazer. O pecado sempre destrói e nunca edifica; promete, mas nunca cumpre a promessa. Como dizem as Escrituras Rm 6.23: “O salário do pecado é a morte”.
ð O mal do pecado havia entrado no universo. Porém, o homem vivia no paraíso em absoluta inocência, em pleno gozo e perfeita comunhão com Deus. De que maneira esse quadro tão perfeito foi desfeito? Rm 5:12"Por um homem entrou o pecado no mundo" , portanto, com um ato perfeitamente voluntário da parte do homem.
ð Esse pecado trouxe consigo corrupção permanente, corrupção que, dada a solidariedade da raça humana, teria efeito, não somente sobre Adão, mas também sobre todos os seus descendentes. Com resultado da queda, o pai da raça só pode transmitir uma natureza depravada aos pôsteres.
ð Mas ainda isso não é tudo. Adão pecou não somente como o pai da raça humana, mas também fomo chefe representativo de todos os seus descendentes; e, portanto, a culpa de seu pecado é posta na conta deles, pelo que todos são passíveis de punição e morte. É primeiramente nesse sentido que o pecado de Adão é o pecado de todos.
Deus adjudica a todos os homens a condição de pecadores culpados em Adão, exatamente como adjudica a todos os crentes a condição de justos em Jesus Cristo.
W   A Bíblia faz várias declarações a respeito da universalidade do pecado. Por exemplo, temos no Antigo Testamento alguns exemplos, tais como 1Rs 8.46 “não há homem que não peque” e Sl 143.2 “porque à tua vista não há justo nenhum vivente”. Paulo, na Carta aos Romanos, disse: Rm 3.10-12 “Não há um justo, nenhum sequer; não há quem faça o bem, nenhum sequer”; Rm 3.10-12 “Pois todos pecaram e carecem da gloria de Deus”. O apóstolo João afirma: 1Jo 1.8 “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós”.
W   Rm 5:12"Por um homem entrou o pecado no mundo". Quando Adão pecou, CAIU, e em sua queda levou toda a raça humana, pois ele era o pai e cabeça da raça, era a raiz da humanidade. Daí o fato de chamar-se de pecado original, ou seja, pecado da raça.
W   Quando Adão pecou, estabeleceu um triste princípio para os homens: todos os seus descendentes nasceram (ou nascem) no mesmo estado em que ele caiu. 

A Bíblia define essa situação com três denominações distintas:
1.    Estado de depravação Rm 7:18 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem.
2.    Estado de culpa Rm 5-12 Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.
3.    Estado de pena Rm 5-12 Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.

TRÊS FATOS A CONSIDERAR, COMO TRATAR SERIAMENTE COM O PECADO.

1.    NÃO TROQUE O NOME DO PECADO. 

O pecado tem sido disfarçado nestes dias, aparecendo com novos nomes e caras. Vivemos uma época de grande inversão de valores e de deturpação do real sentido das palavras, por exemplo:
·      Fornicar que significa ter relações sexuais antes do casamento hoje em dia é ficar.
·      Adulterar que significa ter relações sexuais fora do casamento hoje é ter um caso.
·      Roubar que significa apropriar-se do que não é seu – hoje em dia é desviar.
·      Fofocar que significa falar inverdades a respeito de uma pessoa – hoje em dia é comentar, em geral quando um fofoqueiro é desmascarado em sua fofoca, diz: “Eu não falei por mal”. Só fiz um pequeno comentário!
·      Os homens já não ficam mais sob convicção de pecados; eles têm um complexo de culpa. Em lugar de confessar suas culpas a Deus, para se livrarem delas, deitam-se num divã e tentam relatar o que sentem a um homem que deve conhecer melhor tudo sobre eles. Após algum tempo, a resposta dada é que eles foram profundamente desapontados quando tinham dois anos, ou alguma coisa semelhante. Supõe-se que isso os fará sentirem-se melhor.
·      A prostituição tornou-se um “programa”. Seus agentes passaram a se chamar “profissionais do sexo”.
·      Corrupção e desonestidade subsistem sob o codinome de esperteza ou “jeitinho brasileiro”. O rótulo mudou, mas o veneno continua o mesmo Is 5.20 Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!
O pecado é ainda o mesmo antigo inimigo da alma. Ele nunca foi alterado. Precisamos tratar seriamente com o pecado em nossa vida. Lembremo-nos sempre disso. Ez 18. 4, 20 “A alma que pecar, essa morrerá”.
·      Não estou pregando a perfeição sem pecado. Antes, quero dizer que todo pecado conhecido deve ser nomeado, identificado e repudiado, e que devemos confiar em Deus para nos libertar dele, para que não exista qualquer pecado consciente, deliberado em qualquer parte de nossa vida. É absolutamente necessário que façamos isso, porque Deus é um Deus santo, e o pecado está no trono do mundo.

W   Portanto, não chame seus pecados por algum outro nome.
·      Se você é invejoso, chame-o de INVEJA.
·      Se você tem a tendência à autocomiseração e a sentir que não é apreciado, mas é como uma flor que nasce para morrer despercebida, a desgastar sua doçura no ar do deserto, chame esse pecado pelo que ele é: AUTO-PIEDADE.
·      Se você por qualquer motivo explode emocionalmente, chame esse pecado de IRA.
·      Se você exagera no comer ou beber, chame esse pecado de glutonaria, gula.
·      Se você se acha melhor do que todos e com isso tem sempre a necessidade de aparecer, de ser visto passando inclusive por cima de padrões éticos, chame esse pecado de ORGULHO.
·      Se você tem um apego exagerado ao dinheiro e as coisas, chame esse pecado de AVAREZA.
·      Se você tem aversão ao trabalho chame esse pecado de PREGUIÇA.
·      Se você tem uma impulsividade desenfreada, um prazer pelo excesso, inclusive sexual, chame esse pecado de LUXÚRIA.
·      Se você não vence o desejo de ver fotos e vídeos eróticos, chame esse pecado de PORNOGRAFIA.
·      Se você não perdoa, chame esse pecado de RESSENTIMENTO. Há pes­soas que vivem num estado de indignação furiosa a maior parte do tempo. Há pessoas que agem como uma galinha lançada fora do ninho: elas ficam correndo em todas as direções queixando-se e murmurando, al­guém está sempre os fazendo errar.

·      Se você esta sendo escravizado por algum destes pecados que mencionei, tem de tratar com ele ou com eles imediatamente. Você precisa livrar-se disso. O sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo o pecado. Em lugar de tentar disfarçar o pecado ou procurar uma tradução grega opcional em algum lugar sob a qual ocultá-lo, chame-o por seu nome correto e livre-se dele pela graça de Deus.
·      Por conseguinte, tratemos do pecado com seriedade. Sejamos sinceros e transparente Deus ama as pessoas sinceras. A Bíblia diz, Pv 28.13 aquele que confessa e deixa, alcança misericórdia.

2.    NÃO FLERTE COM O PECADO.

·      Há pessoas que acham que tem o direito de pecar. Quem já não ouviu a frase: “Você merece ser feliz!” Esta frase, tão bonita, tem sido usada como desculpa para diversas transgressões, principalmente no âmbito sexual. Seu significado distorcido nada mais é do que a exaltação do egoísmo, que tem sido colocado acima da perseverança, da fidelidade e do amor. Em uma civilização regida pelo humanismo hedonista e imediatista, parece que qualquer tipo de sofrimento precisa e deve ser interrompido rapidamente, mesmo que a saída seja pecaminosa.
·      Até as palavras de Cristo são usadas, de modo distorcido, para justificar a prática do mal, Mt. 26.41 quando se diz que “a carne é fraca”. Parece que pecar tornou-se, além de direito, uma necessidade urgente. Entretanto, cada discípulo de Jesus precisa negar a si mesmo, esperando o livramento ou o suprimento celestial, assim como o Mestre perseverou até a morte, mesmo quando muitos sugeriam que ele descesse da cruz.
·      Pecado virou sinônimo de prazer IITss. 2.12 “O resultado disso é que serão condenados todos os que não crêem na verdade, mas têm prazer no pecado”. Notamos, principalmente na literatura e na música popular, o uso “positivo” da palavra pecado. Pecar parece algo atraente e compensador. Da mesma forma como ser “irreverente” tornou-se qualidade no vocabulário moderno.
·      A virgindade é um valor do passado. A prostituição tornou-se regra geral. Algo mais recente é a pirataria generalizada, por meio da qual os direitos autorais são roubados.

3.    CUIDADO COM OS PECADOS DE ESTIMAÇÃO.

·      Como definir um pecado de estimação, é aquele pecado que você alimenta todos os dias. Como identificar um pecado de estimação?

1. Quando ele já não nos entristece mais Sl 38.18 “Confesso a minha iniquidade; suporto tristeza por causa do meu pecado.” Quando o pecado já não nos causa tristeza ele se torna muito perigoso. Pode ser um pecado de estimação.
2. Quando ele já não nos incomoda Pv 14.9 “Os loucos zombam do pecado…”. Quando já não somos incomodados pelo pecado, não ficamos angustiados e tristes, pode ser um pecado de estimação.
3. Quando não o abandonamos Sl 32.3-5 “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado.”

·      O que acontece é que nós os acariciamos e com isto eles são nutridos por nós e crescem juntamente conosco, comendo como se fossem da nossa própria carne, bebendo do nosso próprio copo. Esses pecados nos dominam ao invés de serem por nós dominados. Procuramos agradar nossa carne e não a Deus, ou seja, Deus precisa esperar enquanto o pecado é servido em primeiro lugar.

ð   QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO?

·      As consequências principais do pecado sãoa morte e a separação da presença de Deus Rm 6:23 Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.

·      O pecado também traz muitas outras consequências secundárias.

1.             O PECADO GEROU MORTE. Logo em Gn 2:16-17 E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás. 
ð Deus avisou que a consequência principal do pecado era a morte. Quando Adão e Eva pecaram, eles sofreram morte espiritual, ficaram afastados da presença de Deus. Deus também os condenou à morte física, começando o processo lento de degradação física que leva todos a morrer Gn 3:19 No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.

2.             O PECADO TROUXE MALDIÇÃO. Por causa do pecado, a terra ficou amaldiçoada. A terra perdeu sua perfeição e se tornou um lugar difícil de viver Gn 3:17-18 E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo. Surgiu o sofrimento, a dor e o conflito entre pessoas. A vida na terra ganhou muitas dificuldades.

3.             O PECADO ORIGINOU A SEPARAÇÃO ETERNA DA PRESENÇA DE DEUS. Esta é a pior consequência de todo pecado Rm 3:23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
·      Quem peca se rebela contra Deus. O inferno é uma eternidade sem Deus.

4.             O PECADO PRODUZ CONSEQUÊNCIAS NESSA VIDA.

a)   A doença, agora nossos corpos são vulneráveis a todo tipo de doença e, um dia, todos temos que morrer (mas atenção: a doença não é sempre consequência de pecado individual; é consequência da existência de pecado no mundo).
b)   Desastres naturais, fomes, dilúvios e outros desastres são produto da maldição da terra.
c)    Relacionamentos difíceis, tornou-se muito mais difícil ter relacionamentos harmoniosos com outras pessoas.
d)   Consequências individuais do pecado: Cada pessoa também sofre as consequências de seu próprio pecado. Algumas consequências do pecado podem ser:
1.    Culpa, a culpa corrói a vida sem oferecer uma solução; a pessoa se condena mas não sabe como mudar de vida (Obs: Aquele que é bom de argumento é ruim de arrependimento).
2.    Falta de sensibilidade, é o contrário da culpa; a pessoa perde noção de certo e errado e continua pecando sem entender as consequências.
3.    Humilhação, o pecado leva à desgraça dos arrogantes e orgulhosos (sal sem sabor).
4.    Castigo da lei, alguns pecados são crimes e podem levar vários tipos de castigo aplicado pela justiça humana.

CONCLUSÃO:

ð O pecado traz muito sofrimento ao pecador. Deus retribui cada um de acordo com suas ações Rm 2:6-8 O qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber:
A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção; Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniqüidade;


ð Mas, existe uma esperança.
Deus nos ama e não gosta de nos ver sofrer. Por isso, Jesus veio à terra para levar o castigo por nossos pecados em nosso lugar. Agora quem aceita Jesus como seu salvador recebe perdão de seus pecados e pode ficar na presença de Deus Jo 3:16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
ð Um dia Deus vai destruir todo sofrimento causado pelo pecado e os salvos viverão com Ele para sempre!

Pr: Nilton Jorge
Contatos:
Email. niltondalani@gmail.com
https://www.facebook.com/Pr.NiltonJorge
Telefones: Vivo (22) 998746712 whatzapp / Tim (22) 981358547


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão lidos pelo autor, só serão respondidos os de grande relevancia teológica, desde já agradeço pela visita.