Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Música e adoração na igreja

Salmos 40.3
INTRODUÇÃO:
1. Perguntaram para Rick Warren, o que faria de diferente se tivesse que começar sua igreja de novo. Ele respondeu: “desde o primeiro dia eu colocaria mais energia e dinheiro no ministério de música”.
2. Davi no Salmo 40:3 fala sobre quatro atributo da música: 1) A origem da música; 2) A natureza da música; 3) O propósito da música; 4) O resultado da música.
3. Davi diz que há uma clara conexão entre música e evangelismo. Aristóteles disse que “a música tem o poder de formar o caráter”. A música é a principal comunicadora de valores para as gerações:
a) Na Reforma – foi a música que popularizou a doutrina da reforma luterana;
b) As canções de rock dos anos 60 e 70 forjaram os valores dos americanos dessas duas décadas.
c) A MTV molda os valores da maioria dos adolescentes.

I. A IMPORTÂNCIA DO LOUVOR NA VIDA DA IGREJA.

1. O louvor alivia o fardo. Jó disse que Deus inspira canções de louvor nas noites escuras. O louvor reduz o efeito da pressão. Satanás quer que estejamos desolados e melancólicos, quando passamos por tempos difíceis. Como nos libertar dessas nuvens escuras? Louvando a Deus continuamente! Quando louvamos, sacudimos o jugo da angústia. Trocamos o espírito angustiado por vestes de louvor (Is 61:3).

2. O contínuo louvor transforma o temor em fervor. É impossível louvar a Deus e permanecer desanimado: Sl 42:5 “Por que estás abatida, ó minha alma? Espera em Deus, pois eu ainda o louvarei”. Quando louvamos a Deus, a nossa fé se torna mais forte: Sl 57:7 “Firme está o meu coração ó Deus, o meu coração está firme: cantarei e entoarei louvores”. O louvor transforma a adversidade em bênção, nossa fraqueza em força divina: Sl 28:7) “O senhor é a minha força e o meu escudo; nele o meu coração confia; nele fui socorrido; por isso o meu coração exulta e com o meu cântico o louvarei”.

3. O louvor abre portas que doutra forma não seriam abertas. Reclamar, lamentar, murmurar, ficar magoado abre brecha para Satanás, mas o louvor amarra a Satanás. O louvor mostra ao inimigo que não caímos em seus truques, mostra que confiamos no Deus onipotente. Deus habita no meio dos louvores e onde Deus está o diabo precisa fugir.

4. O louvor não é consequência da vitória, é causa da vitória. Atos 16 revelam que o louvor é a causa da vitória e não apenas sua consequência. Louvamos para vencer. Louvamos para derrotar o inimigo. O louvor nos põe acima das nuvens escuras. O louvor proclama a vitória antecipadamente: Miriã cantou o cântico certo no lugar e na hora errada.

 Aspectos grandiosos do louvor

a) O louvor é da vontade de Deus 1Ts 5:18 “Em tudo daí graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”.
b) O louvor é resultado da plenitude do Espírito Santo Ef 5:18-20 “Mas enchei-vos do Espírito Santo, falando entre vós com salmos , entoando e louvando de coração ao Senhor, com hinos e cânticos espirituais…”. Onde há contendas e ciúmes a adoração não pode subir como aroma suave.
c) O louvor é resultado da plenitude da Palavra em nós Cl 3:16 “Habite ricamente em vós a Palavra de Cristo… louvando a Deus com salmos e hinos e cânticos espirituais”.

II. PRINCÍPIOS SOBRE ADORAÇÃO.

1. Somente os salvos podem verdadeiramente adorar a Deus. Adoração é a expressão do nosso amor por Deus, por quem ele é pelo que ele disse pelo que ele está fazendo. Não podemos confundir cantar com adorar. É possível cantar sem adorar e é possível adorar sem cantar.

2. Não precisamos de um prédio para adorarmos a Deus. Deus não habita em templos feitos por mãos de homens At 17:24. Jesus disse: Mt 18:20 “Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles”.

3. A adoração tem muito mais a ver com a essência do que com estilo. Ao redor do mundo, pessoas diferentes adoram a Deus com estilos diferentes. Entretanto, toda adoração precisa ser em espírito e em verdade. Ou seja, precisa ser verdadeira e sincera. Adoração não é tanto uma questão de estilo de música ou quantidade de instrumentos que usamos, mas uma atitude de coração disposta a glorificar a Deus. Não é show. O show visa a glória do homem, a adoração visa a glória de Deus.

4. A adoração é um poderoso testemunho para os não crentes. Uma coisa é a doutrina da onipresença de Deus, outra é a presença manifesta de Deus. O que produz impacto nas pessoas é a presença de Deus perceptível no culto da igreja. Essa presença manifesta derrete os corações e destrói barreiras mentais. Existe conexão estreita entre adoração e evangelismo. A meta do evangelismo é produzir adoradores para Deus. Evangelismo é a missão de recrutar adoradores para Deus.

5. A adoração precisa produzir em nós um profundo senso de admiração. Isaías quando contemplou o Senhor do seu santo templo ficou extasiado com a glória e a majestade do Senhor. Precisamos resgatar segundo Tozer essa percepção da mejestade de Deus em nossos cultos. Isaías ficou extasiado com a santidade de Deus, com a pecaminosidade da sua vida, com a grandeza da graça e com a urgência da obra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão lidos pelo autor, só serão respondidos os de grande relevancia teológica, desde já agradeço pela visita.