Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 16 de setembro de 2008

ALCANÇANDO AS PROMESSAS DIVINAS

TEXTO: LUCAS 2:36-38 INTRODUÇÃO: v Esperar é uma dessas palavras que me apavora, me angustia, rouba-me a paz. Na verdade, paciência é uma virtude em extinção. A maioria das pessoas tem uma verdadeira repulsa da espera. v O Davi que testemunhou: (Sl. 40:1) “Esperei com paciência pelo Senhor...” Foi o mesmo que orou ansiosamente: (Sl. 143:7) “Ouve-me depressa, ó Senhor; o meu espírito desmaia...” . v Há um canção do Zé Ramalho que expressa essa falta de paciência: “Bem, vamos embora, porque esperar não é saber. Quem sabe, faz a hora, não espera acontecer”. v Este é o século da pressa; da correria; da emergência, do imediatismo. Tudo tem que ser feito com rapidez, “agora”, “já”. Esta é a geração do fest-food, da comunicação virtual, da internet banda larga, do speed. Hoje, trazemos o universo para dentro do nosso computador numa velocidade impressionante. v Resultado: Perdemos a tão nobre virtude – a paciência. v A história do texto que lemos é a história de uma mulher que esperou 84 longos anos pelo cumprimento de uma promessa – o nascimento do Messias. É a historia de uma mulher que nos desafia e encoraja-nos a sermos pacientes na espera do cumprimento das promessas divinas. A espera desta mulher em ver o cumprimento da promessa de Deus é um tônico para a nossa alma e remédio para o nosso coração. v O que sabemos sobre Ana? O texto fornece-nos algumas informações que são dignas de destaque e motivos de nossa atenção: 1. O seu nome (v.36). Ana (heb., hanah, significa “graça”). A Bíblia faz referencia a duas Anas - Ana, mulher de Elcana e mãe de Samuel, e Ana, a profetisa. 2. A sua filiação e origem. O texto diz que ela era filha de Fanuel, da tribo de Aser. Aser foi o oitavo filho de Jacó, o segundo pela ama de Lia, Zilpa. Depois da morte de Aser, seu nome cunhou-se à uma tribo (aldeia) entre a fronteira de Manassés e Efraim, de localização incerta. Na época de Jesus a tribo de Aser era tida como uma tribo perdida. 3. Era profetisa (v.36) Durante muitos anos a voz profética estivera em silêncio. Agora, aqui de repente, aparece esta profetisa! Apesar de não termos em registro nenhuma de suas profecias, sabemos, à luz do texto, que ela era de fato, profetisa. 4. Era viúva. Lemos que ela vivera apenas sete anos com seu cônjuge até ele morrer. 5. Era de idade avançada. Lucas diz que ela era de “idade muito avançada”, ou, como diríamos: “bem idosa”. Os anos haviam se passado agora ela contabilizava 84 aniversários. Seus cabelos já estavam descoloridos e sua face marcada pelas rugas que o tempo esculpiu. 4. Era uma mulher piedosa. V.37 “não deixava o templo, servindo a Deus dia e noite com jejuns e orações”. Após a morte do seu marido Ana passou a dedicar-se em servir a Deus em tempo integral, com orações e jejuns. Devoção e piedade eram as marcas distintivas desta mulher. A expressão “nunca se apartava do templo” significa que ela atendia regularmente no templo. Ana não perdia um culto. Seja no culto público ou privativo, lá estava à velha Ana. 5. A sua atitude em relação a Jesus. Lemos sobre Ana no versículo 38 que: “Tendo chegado ali naquele exato momento...” Que momento era esse? Momento em que Jesus estava sendo apresentado no templo. Momento em que Simeão cuidadosamente toma em seus braços Jesus que estava com oito dias, e louva a Deus. Ela está convencida de que o menino é deveras o Messias. Que emoção! Ela está diante do cumprimento completo da promessa em que ela crera durante toda a sua vida. O grande sonho se tornara realidade. A espera havia chegado ao fim. TRANSIÇÃO: O que podemos aprender com a história de Ana? Há aqui alguns princípios que devemos nos lembrar sempre. I. DEUS NÃO BUSCA HERÓIS, DEUS BUSCA PESSOAS DISPONÍVEIS. v.37: diz que ela “Não deixava o templo, servindo a Deus dia e noite com jejuns e orações”. 1. Ana não fazia parte da elite sacerdotal de Israel. Não aparece em sua genealogia nenhum rei; nenhum rabino, nenhum figurão. Seu pai, Fanuel é um personagem desconhecido na história. A tribo a qual ela descendia era uma das tribos tidas como “perdidas”. Era viúva, pobre e já avançada em idade. 2. No entanto, diz o texto bíblico que ela profetisa. Ana tem um dom; tem uma chamada, uma vocação. Ela não era heroína. Ela era uma profetisa do Deus de Israel. Era porta voz do próprio Deus. Apesar de ser uma mulher sem cacife, sem histórias de heroísmos, Deus a escolheu. 3. Estamos vivendo hoje a glorificação do forte. Estamos vivendo o apogeu do mundo dos atletas. O mundo que estamos vivendo é um mundo que só valoriza o rico; que só valoriza o nobre, o bonito, o chique, o famoso, o hábil; que só valoriza o que nasceu em berço esplendido. 4. Nosso mundo tem pouco espaço para os fracos, para os pequenos. Vivemos numa geração em que as pessoas são descartadas, inferiorizadas e, muitas vezes marginalizadas porque são pobres, por causa da cor da pele ou porque não tem um visual que seja de acordo com as expectativas da sociedade. 5. Com isso eu aprendo que Deus não busca heróis e heroínas, Deus busca gente disponível. Deus tem um lugar para os pequenos. è O processo seletivo de Deus é totalmente o contrário do dos homens. 2 Cor 1:27-29“Irmãos, pensem no que vocês eram quando foram chamados. Poucos eram sábios segundo os padrões humanos; poucos eram poderosos; poucos eram de nobre nascimento. Mas Deus escolheu o que para o mundo era loucura para envergonhar os sábios, escolheu o que para o mundo é fraqueza para envergonhar o que é forte. Ele escolheu o que para o mundo é insignificante, desprezado e o que nada é, para reduzir a nada o que é, a fim de que ninguém se vanglorie diante dele”. II. NUNCA É TARDE PRA SONHAR GRANDES SONHOS E REALIZAR GRANDES EMPREENDIMENTOS PARA DEUS. 1. Qual era o grande sonho de Ana? O grande sonho de Ana, assim como o de Simeão, era ver cumpridas as antigas profecias do nascimento do Messias. 2. Ana, mesmo com 85 anos de idade, ainda sonhava com o momento em que Deus enviaria a redenção de Israel, a libertação do pecado por meio do Salvador. 3. Acaso, existe um projeto maior e mais nobre do que este? Aos 85 anos, Ana, em vez de “pendurar as chuteiras”, se aposentar, comprar uma cadeira de balanço e encerrar a carreira, ela continua entusiasmada com o que Deus havia prometido no passado. 4. Ela não pensa em aposentadoria, ela tem motivos nobres, dignos, grandiosos pra continuar. à Moisés começou seu ministério aos 80 anos. Foi aos 75 anos que Abraão recebeu de Deus o maior desafio de sua vida – ser pai de uma grande nação; Calebe aos 85 anos de idade ainda tinha sonhos latentes na alma: “...aqui estou hoje, com 85 anos de idade! Ainda estou tão forte como no dia em que Moisés me enviou; tenho agora tanto vigor para ir à guerra como tinha naquela época”. Winston Churchill tornou-se primeiro ministro da Inglaterra aos 70 anos. Foi ele quem livrou a Inglaterra da invasão de Hitler. Quero lhe dizer querido que o jogo ainda não acabou. Deus está dizendo pra você hoje: Coragem! Levante a cabeça, o jogo ainda não acabou. Você ainda tem o segundo tempo. Volte ao campo, lute e vença. III. QUE A HÁ UMA ESTREITA RELAÇÃO ENTRE A CONSTÂNCIA E O CUMPRIMENTO DAS PROMESSAS DE DEUS. 1. V.37b diz que Ana “nunca deixava o templo; adorava a Deus jejuando e orando dia e noite”. Em outras palavras, ela constantemente, estava no templo; constantemente, adorava a Deus; constantemente orava e jejuava. 2. Alguém corretamente afirmou que toda promessa de Deus passa pelo teste do tempo. O tempo revela os medíocres, mas descobre os nobres. A constância é a rainha de todas as virtudes, porque só quem a possui consegue terminar projetos, realizar sonhos, efetivar metas e alcançar as promessas de Deus. 3. Ana em vez de olhar para as circunstancias, ela fita os olhos nas promessas. O tempo na verdade, era o maior de todos os seus inimigos. Mas a despeito do tempo, Ana continua inabalável orando, jejuando, adorando a Deus e esperando ansiosamente o cumprimento de promessa. CONCLUSÃO: Não falte ao templo: Use o exemplo da Profetiza Ana, continuem indo ao Templo todos os dias, significa mais do que ir à Igreja, é estar na presença de Deus, e chegue na hora; Pois o Espírito de Deus vai te avisar: tem benção no Templo hoje, Jesus está no Templo! Quem vive esperando a Promessa, sabe quando ela chegou, mesmo que ainda pequena como uma criança recém-nascida, mais ela vai crescer para cumprir, na tua vida o propósito à que veio assim são as Promessas de Deus. Ana tornou-se a primeira mulher a pregar a chegada da Redenção com fé: vs. 38:… e falava dele, a todos os que esperavam a redenção de Jerusalém! Que mensagem ela tinha, a maior notícia, o “Evangelho” verdadeiro. De acordo com a tradição judaica Simeão estava com 113 anos e Ana com 84 anos, ambos esperaram no tempo de Deus e alcançaram dias de refrigérios.

Um comentário:

  1. boa tarde pr.nilton,muito tremenda esta mensagem,realmente queremos tudo bem rapido e nem mesmo procuramos saber se e isto mesmo que o senhor tem para nos,esta mensagem falou muito ao meu coracao,que Deus continue te usando pr.,e saiba sempre que voce e uma pessoa especial para Deus,um grande abraco,Deus vos abencoe...........

    ResponderExcluir

Os comentários serão lidos pelo autor, só serão respondidos os de grande relevancia teológica, desde já agradeço pela visita.