Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 15 de julho de 2010

NAMORO BEM SUCEDIDO.

Pv. 30.18-19
Introdução:

- Um dos assuntos mais difíceis para se falar é a respeito de namoro, porque na Bíblia não encontramos nem namoros, nem parâmetros para tal relacionamento.
- Os únicos dois vestígios de namoros é o de José e Maria, e de Isaque e Rebeca. O que falarmos será por inferências para nortear os solteiros.
- A grande questão é: o namoro deve existir? Sim.
- O que podemos então dizer a respeito de namoro? Vamos usar dois textos -

1) O namoro mais curto que já existiu - Isaque e Rebeca - Gn. 25.60-67

1.1. A Consciência de estar fazendo a vontade de Deus - 60
- Não existe namoro abençoado por Deus sem que os jovens não tenha a consciência e a determinação de glorificar ao Senhor através de seu relacionamento.
1.2. O Relacionamento deve ser bênção para a jovem -
- Vr. 67... Foi consolado - Namoro não é para atrapalhar o jovem com Deus mas para servir de mola propulsora que impulsione os jovens ainda mais para uma vida de intimidade com o Senhor.

2) O Namoro Sublime - Pv. 30.18-19

- o sábio está dizendo que há quatro coisas que lhe deixam maravilhado, onde as três primeiras possuem algumas características inerentes a quarta.
- Os três primeiros exemplos nos ajudam a entender a maravilha do caminho de um homem com uma donzela.
2.1. O Caminho da águia no céu -- A característica maior do vôo da águia é a sua direção, firmeza e meta. A águia sabe muito bem por onde voar e não voa aleatoriamente. Ela tem metas, direção, consciência. Quando ataca sua investida é certeira.
- O caminho do namoro, tal qual o da águia, deve ter direção, firmeza, alvo, metas e propósitos.
- Am. 3.3 diz: “Andarão dois juntos se não houver entre eles acordo?” - Se ambos não tiverem a mesma direção, o mesmo propósito não alcançarão a felicidade.
- A águia avista as coisas de cima - O namoro cristão precisa ter uma visão do alto, saber discernir o que é certo e errado.
- A águia vê seus inimigos do alto - É o namoro que sabe que têm três inimigos (mundo, carne e diabo) e os identifica claramente para poder vencê-los.
2.2. O Caminho da cobra na penha -
- Quando a cobra anda na pedra ela não deixa marcas, rastros, ou qualquer indício de sua passagem alí.
- O namoro neste exemplo é aquele que não deixa marcas, sujeiras. Não há feridas para serem tratadas. É o namoro que pode olhar para trás e glorificar a Deus, sem nenhum problema mal tratado ou pecado que penetrou algum momento.
- É o namoro que, se tiverem de terminar, podem fazê-lo de cabeça erguida sem ressentimento, sem mágoa ou sem marcas. É aquele casal que, se terminarem, podem olhar um dentro dos olhos do outro na igreja sem precisar esconder alguma coisa.
- Agora, se houve marcas, sempre é momento de recomeçar, de pedir perdão de saber que o “sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado”, e começar de novo. Mas, o ideal para um namoro é aquele que não deixa rastro.

2.3. O Caminho do navio no mar -
Naquele tempo não havia bússolas ou qualquer coisa que pudesse guiar os navegantes. Os marinheiros se orientavam pelo céu, as núvens, os pássaros, o vento...
Este exemplo mostra o namoro orientado pelos céus. As bússolas da vida não são comparadas com a Palavra de Deus que é o nosso mapa norteador para um namoro feliz.
- A grande interrogação é se vocês estão lançando os seus namoros nos mares da vida confiados nos padrões da sociedade ou nos ensinos de Deus?
- Este é o esclarecimento para um namoro seguido pelo ritmo dos céus. E para isso três coisas precisam acontecer:
1) Oração em conjunto;
2) Compartilhamento da Palavra;
3) Adoração a Deus

3) Diante do já exposto gostaria de dizer quando o namoro se torna prejudicial

3.1. Quando não tem ideal.
- E os jovens novos? (13/14/15). Se não tem ideal não namore.
3.2. Quando o namoro é possessivo - É o namoro sanguessuga
3.3. Quando é leviano - É a nova moda do “ficar”- O “ficar” é um adultério religioso. Não pode consumar o ato, mas fica neste “ficar”, se esfregando, se abrasando e pecando contra Deus.
3.4. Quando afeta a comunhão com a Igreja -
3.5. Quando descamba para a impureza -

Conclusão:
Eu quero terminar abordando sobre os dez mandamentos do namoro Cristão.
I. Não namore por lazer: namoro não é passatempo e o cristão consciente deve encarar o namoro como uma etapa importante e básica para um relacionamento duradouro e feliz. Casamentos sólidos decorrem de namoros bem ajustados.
II. Não se prenda em um jugo desigual, (2 Co 6:14-18): iniciar um namoro com alguém que não tem temor a Deus e não é uma nova criatura pode resultar em um casamento equivocado. E atenção: mesmo pessoas que freqüentam igrejas evangélicas podem não ser verdadeiros convertidos ou não levarem o relacionamento com Deus a sério.
III. Imponha limites no relacionamento: o namoro moderno, segundo o ponto de vista dos incrédulos, está deformado e nele intimidade sexual ou práticas que levam a uma intimidade cada vez maior são normais, mas o namoro do cristão não deve ser assim, o que nos leva ao próximo mandamento.
IV. Diga não ao sexo: Deus criou o sexo para ser praticado entre duas pessoas que se amam e têm entre si um compromisso permanente. É uma bênção para ser desfrutada plenamente dentro do casamento; fora dele é impureza.
V. Mantenha a dignidade e o respeito: o namoro equilibrado tem um tratamento recíproco de dignidade, respeito e valorização. O respeito é imprescindível para um compromisso respeitoso e duradouro. Desrespeito é falta de amor.
VI. Pratique a fidelidade: infidelidade no namoro leva à infidelidade no casamento. Fidelidade é elemento imprescindível em qualquer tipo de relacionamento coerente à vontade de Deus, que abomina a leviandade.
VII. Assuma publicamente seu relacionamento: uma pessoa madura e coerente com a vontade de Deus não precisa e nem deve lutar contra seus sentimentos ou escondê-los.
VIII. Promova o diálogo e a comunicação: conversar é essencial, estabeleça uma comunicação constante, franca e direta e não evite conversar sobre qualquer assunto.
IX. Cultive o romantismo: a convivência a dois deve ser marcada por gentileza, cordialidade e romantismo. Isso não é cafona, nem é coisa do passado e traz brilho ao relacionamento.
X. Forme um triângulo amoroso: namoro realmente cristão só é bom a três: O Casal e Deus. Ele deve ser o centro e o objetivo do namoro.
VIII. Promova o diálogo e a comunicação: conversar é essencial, estabeleça uma comunicação constante, franca e direta e não evite conversar sobre qualquer assunto.
IX. Cultive o romantismo: a convivência a dois deve ser marcada por gentileza, cordialidade e romantismo. Isso não é cafona, nem é coisa do passado e traz brilho ao relacionamento.
X. Forme um triângulo amoroso: namoro realmente cristão só é bom a três: O Casal e Deus. Ele deve ser o centro e o objetivo do namoro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão lidos pelo autor, só serão respondidos os de grande relevancia teológica, desde já agradeço pela visita.