Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Aprendendo Com os Ventos Fortes do Deserto

Texto: Jó 1:18-22.
INTRODUÇÃO:

A vida é feita de escolhas. Estamos tomando decisões todos os dias que afetam a nossa vida. A vida é um reflexo das decisões que fazemos. Como tomar as decisões certas? Como fazer as melhores escolhas? Muitas vezes temos que escolher não apenas entre o bem o mal, mas entre o bom e o melhor. Não poucas vezes são coisas boas em si mesmas que nos afastam do nosso alvo mais excelente. Sempre que sacrificamos no altar do urgente as coisas importantes, estamos invertendo as prioridades da vida. Na busca das primeiras coisas primeiro, precisamos estabelecer prioridades corretas:

1. Deus antes das pessoas – No universo existe Deus, pessoas e coisas. Devemos adorar a Deus, amar as pessoas e usar as coisas. Se cultuarmos a nós mesmos, iremos desprezar a Deus, amar as coisas e usar as pessoas. Devemos amar a Deus sobre todas as coisas. Ele deve ocupar o primeiro lugar na nossa vida, nossa agenda, nossos sonhos.
2. As pessoas antes das coisas – O mundo valoriza o ter mais do que o ser. As pessoas valem quanto têm. Mas, pessoas são mais importantes do que coisas. Não podemos sacrificar relacionamentos por causa das coisas. O trabalho é uma coisa boa, ganhar dinheiro para o sustento da família é uma necessidade básica, mas não podemos esquecer ou desprezar o cônjuge e os filhos e sacrificar o relacionamento familiar para ajuntarmos mais bens materiais.
3. Os filhos antes dos amigos – Os pais precisam investir tempo, cuidado e carinho na educação dos filhos. Os filhos são educados não apenas com palavras, mas, sobretudo, com exemplo. Os filhos precisam não apenas de presentes, mas, sobretudo, de presença.
4. O cônjuge antes dos filhos – Os filhos são herança de Deus, mas não devem ocupar o lugar do cônjuge. Pecamos contra os próprios filhos quando damos mais atenção a eles do que ao cônjuge. O maior bem que podemos fazer aos filhos é amar o cônjuge. Eles devem vir antes dos amigos.
5. O cônjuge antes de si mesmo – O egoísmo é a antítese do amor. O amor não é egocentralizado, mas outrocentralizado. Não nos casamos para sermos felizes, mas para fazermos o nosso cônjuge feliz. Nosso alvo no casamento não é satisfazer a nossa própria vontade, mas agradar o nosso cônjuge. O outro vem antes do eu. Nossos valores dirigem nossas escolhas e ações.

Foram esses valores que fizeram de Jó um vencedor, ele atravessou o vento forte do deserto da provação. E estava firmado em valores que o tornara indestrutível.

O que aprendemos com os ventos do deserto das provações que atingiu a família de Jó.

1. Ele vem para justos e injustos , para os que observam e não observam a Palavra de Deus. V.1. “justo , temente a Deus...”. Mateus 5:45 para que sejais filhos do Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos. Mateus 7:25 E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. Mateus 7:27 E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda. Prudentes e Insensatos tem diferentes fins quanto dissabores da vida. O prudente não procura viver uma vida cristã de obra mais barata , de qualidade inferior, meia sola.

2. Ela vem para mostrar que hoje temos e amanhã podemos perder como também podemos Ter muito mais. Revela sobre a incerteza dos bens terrenos , onde não podemos colocar nela a nossa confiança ou esperança. 1 Timóteo 6:17 Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos;

O rico torna-se o mais pobre, o saudável torna-se o mais doente e repugnante , o bem humorado torna-se o mais mal humorado, o que encorajava agora estava desfalecido , o que consolava agora precisava de consolo. O que não despedia ninguém vazio agora estava vazio.
É tolice fazer dos bens terrenos , do saber , dos talentos nossa porque torna-se aflição de espírito se for um fim na nossa vida. “ barragens podem romper e invadir subitamente nossa vida. Eclesiastes 2:11 E olhei eu para todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também para o trabalho que eu, trabalhando, tinha feito; e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito e que proveito nenhum havia debaixo do sol.

3. Ele vem para mostrar a profundidade da nossa devoção. Jó manifesta sua humanidade diante das perdas rasgando as vestes , rapou sua cabeça “ o Senhor deu e o Senhor tomou...Bendito... “... não atribuiu a Deus...” 2:10. Ele consegue manter sua racionalidade , ele consegue se sobressair em meio aos escombros da dor e adorar a Deus.

Jó aqui revela a onde estava o seu coração - Mateus 6:21 Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. Provérbios 19:3 A falta de juízo é o que faz a pessoa cair na desgraça; no entanto ela põe a culpa no Deus Eterno. Apocalipse 16:8 E o quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo. Apocalipse 16:9 E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória.
Salmos 37:1 Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniqüidade. Salmos 37:7 Descansa no SENHOR e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos. Salmos 73:2 Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos.

Mas o que chama nossa atenção quando nossos olhos caem sobre os acontecimentos na vida de Jó é que enquanto a casa dele não foi atingida matando seus dez filhos ele se manteve em silêncio o tempo todo.
Por que os quatro cantos da casa? Qual o simbolismo ou significado dos quatro cantos na Bíblia? Vento do deserto veio para derrubar as colunas, todas as vigas, todas as paredes só ficou no alicerce “tudo virou pó, cacos e escombros, queimadas etc. (bens materiais, finanças, família, afastas os amigos, tornar repulsivo diante dos que o serviam, a saúde e sua devoção a Deus).

A reação determinou seu recomeço e também o fim em meio aos escombros, destroços, cacos por nove meses Jó se vê num verdadeiro caos.

1. Ele se levantou das cinzas. Nós sabemos que pó, cinzas e caso são elementos que nos lembra telhado, paredes, caibros, que nos lembra que algo existia e que não existe mais. Mas eu não vou permanecer no em meios aos cacos, cinzas da minha aflição. (Numa noite de 1914, seu laboratório, que valia mais de 2 milhões de dólares na época começou a incendiar, com todos os preciosos registros. O filho vendo o pai observando tudo aos 67 anos de idade, sentiu um aperto no coração ao testemunhar aos de trabalho virando cinzas.

“ após horas de silêncio. Edison disse a seu filho: “ Existe um grande valor num desastre como este. Todos os nossos erros são queimados. Graças a Deus e podemos começar tudo de novo”. E de, fato Edison começou tudo de novo. Até o incêndio ele tinha passado três anos tentando inventar o toca discos. Três semanas após o desastre ele conseguiu.
“ ... da fraqueza tiram forças “ - “ Vá rápido quando puder. Vá devagar quando for obrigado. Mas, seja lá o que for, continue. O importante é não parar.

2. Ele se levantou e depois se prostrou em terra e adorou a Deus. O que Satanás queria era jogar Jó contra Deus. O que Ele queria de Jó, Jó ofereceu a Deus “ adoração “.1 Pedro 5:6 Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte, Jó 13:15 Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo, os meus caminhos defenderei diante dele.

Deus pode fazer dos cacos telhas, do pó tijolos, das vestes de luto em vestes de louvor, tristeza em alegria. Há um princípio básico na fila dos que esperam seu milagre, sua restauração - Lucas 14:11 Porquanto, qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.

Jó ofereceu para Deus o de melhor que Ele tinha e Satanás viu isto e ficou de urticárias, ao invés de blasfemar, de amaldiçoar... Ele bendisse, ele adorou, ele se humilhou. Deus deu e tirou.

O que aprendemos com o vento do deserto?

1, Que a paciência tem recompensa. “ tendes ouvido da paciência de Jó e vistes que fim o Senhor lhe deu “. “ E assim depois de esperar com paciência, obteve Abraão a promessa – Hebreus 6:15. O meu Redentor vive “.
2. Que vento forte nos leva a um nível de crescimento e conhecimento a nível vertical e horizontal. “ Tendes ouvido e visto “. Ninguém é o mesmo depois de vencer com Deus a provas. Lucas 1:58 E os seus vizinhos e parentes ouviram que tinha Deus usado para com ela de grande misericórdia e alegraram-se com ela.
3. Que vento vem para Deus ser glorificado. Tiago 5:11 Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso.

Um comentário:

  1. As veses achamos que as lutas vem para nos esmagar,mas quando tudo passa aprendemos que o senhor estava conosco o tempo todo,e que o que Ele deseja e nos ensinar,Deus o abencoe pastor Nilton.

    ResponderExcluir

Os comentários serão lidos pelo autor, só serão respondidos os de grande relevancia teológica, desde já agradeço pela visita.